Blogs a base do copiar e colar, e a expressão pessoal onde fica?

Rolhas2 (1)
Estes dias, eu li uma matéria em um blog, falando sobre a inauguração de uma nova casa em janeiro, como o post era muito curto, e eu queria mais informações, fui verificar a fonte citada, ao menos isto estava correto, citaram a fonte, e qual não foi a minha surpresa, ao me deparar com “o mesmo texto” absolutamente igual, o típico “copiar e colar”.
Um blog é a meu ver, a expressão pessoal do seu autor, é assim que eu os entendo, e portanto deve ser de autoria própria, a não ser em casos onde se divulga uma carta, ou uma declaração de alguém de projeção, no universo dos vinhos.
Não sei se os colegas sabem, mas o google pune texto duplicado e nem irá adiantar antecipar a data da publicação, pois ninguém melhor do que seus robôs, para verificarem quando aquele texto esteve pela primeira vez no sistema, assim,  não será fácil convencê-lo, de que é um procedimento correto, para ele é plágio, e ninguém terá uma boa indexação com estes procedimentos, mesmo citando a fonte. Depois não reclame, se o blog não recebe quase visitas do google, que é quem mantem a maior porcentagem das visitações nos sites e blogs.

Os colegas que são realmente autores, como eu, que mesmo ao repassar por exemplo, um resultado de pesquisa , me esmero em criar um texto original, olham esta atitude, do copiar e colar com reservas e críticas, eu particularmente acho, que cada um, oferece o que pode, alguns escrevem como crianças, duas ou 3 linhas desconectadas umas das outras,  outros fazem um tratado sobre algum tema, há aqueles que são brincalhões e outros mais sisudos, os que tem dom para a comunicação e os que tornam sua leitura uma chatice, são estilos e estilos e assim caminha calmamente, a enoblogosfera, acolhendo a todos.

Por isto não me intitulo blogueira e não gosto do termo, isto coloca a todos no mesmo patamar e a coisa não é bem por ai, existem os estudiosos do tema, existem os apenas bebedores de tudo o que aparecer,   existem leigos e profissionais especializados, assim como existem também,  os que não tem nada a fazer na vida e se divertem com um blog, postando desesperadamente, qualquer coisa que apareça pela frente, sem qualquer preocupação, em acrescentar alguma informação original na rede, e contribuir com o conhecimento.
Cada um reflete, na forma como conduz suas “autorias”, o seu próprio interior. Só posso entender esta ansiedade de volume de publicações, vendo por um  angulo: problema de auto-estima.
É muito bacana posar para os amigos, como “entendido” em vinhos, enófilo  faz sucesso na roda de amigos, não faz?

Mas fica a pergunta, como alguém que não consegue escrever seus próprios textos, pode ser autor em um blog?
Acho que todos podem melhorar isto.

Se não é um profissional para analisar vinhos e passar dicas, de como proceder em várias situações ligadas a ele, fale de suas experiências pessoais, com os vinhos que degusta, é mais pessoal, é mais verdadeiro, vai dar “muiiiito” mais trabalho, vai ter que pesquisar a ficha técnica dos vinhos buscando nos sites dos produtores, muitas vezes elas estarão incompletas, terá que editar imagens e montar tudo e isto leva tempo, “muiiito” mais do que apenas copiar e colar, e você terá que reduzir o número de suas postagens, mas, será produção sua, autoria sua, você passará a contribuir e dividir, se não informação técnica, um pouco de sua experiência pessoal,  com os leitores e construirá sua própria identidade na rede.
Não é muito mais bonito, elegante e válido?

Assim construímos uma identidade, uma marca, um estilo. Copiar e colar será o estilo assumido de alguém? 

Não….Acho que todos temos um pouquinho mais a oferecer, não acham?

Enoabraços,

6 comentários :

Flavio Henrique disse...

Prezada,
O copy and paste é uma lamentável atitude contemporânea que infelizmente não se limita aos blogs. Convivo diariamente com isso até mesmo no mais rígido (e importante) setor, que é a ciência. Lamentavelmente, se copia e cola também em ciência. No entanto, em ciência isso é corretamente punido quando detectado. No caso de blogs, vejo dificuldades em fazê-lo, e até mesmo, pouca necessidade. Fica muito mais para a consciência (ou falta dela) de cada um. O que faço é fugir de blogs copy and paste e dar preferência àqueles que contêm artigos mais sinceros, menos enfadonhos e com português minimamente compreensível (ou seja, uns 4 ou 5...rs).
Saudações,
Flavio

Ricardo Bernardo disse...

Definitivamente um blog não pode ser um copy/paste de press releases!!!

murilocardoso disse...

Ótimo! Isso vale para qualquer blog, de qualquer tema!

Camila H. Coletti disse...

Olá Flávio, plágio existe em qualquer situação, o que inclui os blogs, mas eu acredito que quando se assinala alguma coisa neste tipo de comportamento, existe uma ao menos mínima chance de que o mesmo seja corrigido, acho que fundo sou uma romântica que acredito no lado ético das pessoas.
Adorei o português minimamente compreensível....rs... é vero!
Enoabraços,
Camila

Camila H. Coletti disse...

Ricardo, neste caso nem cópia do press release foi, foi cópia do artigo mesmo. Outra hora falarei sobre o press release, é outra façanha, façanha à parte...rs...
Enoabraços e obrigada por visitar o Vinho e Delícias.
Camila

Camila H. Coletti disse...

Murilo,

Sim vale para qualquer blog de qualquer tema, é que os demais eu não acompanho, mas acredito que isto seja prática comum em todos os estilos de blogs.
Obrigada por visitar o Vinho e Delícias!
Enoabraços,
Camila