Vamos então aprender a Decantar de verdade um vinho?

decanter-vinhoedelicias

Dando sequencia à “Não confunda Decantar com Aerar um vinho” a elucidação detalhada  das diferenças entre Decantar e Aerar um vinho, vamos agora resolver este mistério.

(Decantando ou Aerando um vinho PARTE 2, veja a PARTE 1 AQUI)

Decantar um vinho

Qual vinho deve ser decantado?

Não me parece que alguém acharia interessante ao colocar a taça na boca, sentir certos objetos sólidos em sua língua,  naquele vinho especialíssimo, que você esperou por anos para que o mesmo evoluísse e atingisse seu apogeu, não é o que se espera de um vinho de boa qualidade, certo? Então... teremos que reconhecer, que decantar é um processo importantíssimo, para quem quer ir mais fundo no universo dos vinhos, e vir a ter o prazer de conhecer e degustar algumas de suas preciosidades, amadurecidas e evoluídas ao longo de muitos anos.
Quem não quer degustar um Romanée -Conti, um Pétrus e mais ainda, de uma safra histórica?
Não precisamos ir tão longe, afinal um Romanée-Conti, um Pétrus e tantos outros vinhos especialíssimos que temos pelo mundo afora,  não são exatamente vinhos corriqueiros, infelizmente não é?…rs… 
Mas,  um bom vinho com qualidade, e portanto com condições de boa guarda e que esteja neste processo por alguns bons anos,  pedirá uma decantação adequada, então neste caso, teremos sim, que aprender como fazer uma decantação, a decantação propriamente dita, onde iremos separar seus sedimentos do vinho, pois se trata de um vinho de guarda que ficou estocado por até quem sabe décadas, e com isto desenvolveu sedimentos.

Em regra geral, podemos dizer que devem ser decantados todos os vinhos que tenham mais de 10 anos de amadurecimento em garrafa, incluindo especialmente os vinhos do Porto.

Materiais necessários à decantação e procedimentos.

Em primeiro lugar é necessário que você perceba, que deve executar alguns procedimentos anteriores ao momento em que você vai abrir um daqueles vinhos maravilhosos, que você deixou descansando por anos em sua adega, pois decantar um vinho, é algo muito delicado e você vai  precisar de alguns aparatos.

O vinho que certamente estava deitado numa adega, com o passar dos anos, acaba formando alguns sedimentos que se depositarão ao longo da lateral inferior da garrafa, para que possamos removê-los devemos fazer de forma que estes sedimentos se acumulem na maioria, em um único e reduzido ponto da garrafa.

suporte-p-garrafa-de-vinho2r-vinhoedelicias Com este propósito,  usamos como auxílio, um descanso de vinho, ou porta vinho,  que o deixe  inclinado, de preferência um que seja fácil de colocar e retirar o vinho e que também não obstrua o ponto onde a cápsula deverá ser cortada.

Um modelo de  porta vinho na imagem ao lado.




Procedimentos iniciais

Retire o vinho cuidadosamente de seu repouso, na mesma posição em que se encontra, ou seja deitado,  e com o devido cuidado sem agitá-lo ou levantá-lo, coloque-o no suporte, semelhante ao da imagem acima, cuidado com suportes cheios de detalhes e complicados para cortar a capsula, pois o vinho será aberto nesta mesma posição sem retirá-lo do suporte.
Deixe o vinho ainda fechado,  descansar nesta posição por 48 horas, pode ser na própria adega ou em local protegido da luz, do calor e de aromas.

Providencie o decanter e uma vela com um pequeno castiçal em altura adequada. Observe a seguir nas imagens.

Quando chegar o momento da decantação, transporte o vinho no suporte cuidadosamente, não vá jogar todo o seu trabalho fora, e então coloque-o sobre a mesa onde será feita a decantação.

saca-rolhas-laminas-paralelas-vinhoedelicias
Acenda a vela, posicione o decanter e corte a capsula do vinho “sem girar a garrafa”, não se esqueça que estamos separando sedimentos e qualquer movimento inadequado irá misturá-los, retire a rolha nesta posição, sem tirar o vinho do suporte, se o vinho for muito, muito antigo, convém que você utilize um saca-rolhas tipo pinça, de lâminas paralelas (imagem ao lado) pois a rolha pode não estar em boas condições e se esfarelar ou partir durante a retirada com o saca-rolha de sommelier.


Bom agora é acender a vela, retirar cuidadosamente o vinho do suporte  e dar início a decantação, “com a vela iluminando a garrafa para se observar ao chegar no final do processo, quando as borras irão se aproximar do gargalo” é para isto que se usa a vela, já vi sommelier, acender a vela e deixá-la de lado, pois ele não sabia qual a função dela, neste caso usando a vela apenas como parte de um suposto  ritual sem sentido, e não é…ela é importantíssima e tem função simmmm.

decantando-vinho2-vinhoedelicias
A vela sendo usada na decantação da maneira correta.

Vejam este caso abaixo, o rapaz esta prestes a conseguir colocar fogo no suporte do vinho, sem falar que ele parece não ter a mínima ideia do que está fazendo com a vela, pois a mesma está direcionada para o suporte e não para a garrafa do vinho para iluminar o seu interior como deveria.

O vinho deve ser retirado do suporte,  na maioria dos suportes,  para que se tenha mais controle sobre a posição da garrafa e que se possa aproximar o suficiente da vela e usá-la com propósito, ou seja para que se possa verificar se alguma borra não está passando para o decanter,  é preciso manter os olhos na garrafa o tempo todo.
suporte-vinho-vinhoedelicias
Já deu para perceber que a maioria das vezes que vocês viram o decanter ser usado e se falou em decantação, na verdade ela não aconteceu, pois o que estava  acontecendo  era “a  aeração o vinho”, apenas vertendo o vinho  no decanter, por isso eu escrevi o artigo anterior: Não confunda Decantar com Aerar o Vinho 

Ao chegar no início das borras, interrompe-se o processo e o vinho restante ficará na garrafa, alguns costumam filtrá-lo, em filtro de café de papel ou em mini peneirinhas de nylon, isto é pessoal, cada um resolve como achar melhor, a decantação está concluída, neste ponto o vinho está no decanter e então daremos sequência como explanado do artigo anterior, com a questão da temperatura e do tempo no decanter.
Caso seja um vinho já muito antigo e delicado, frágil, convém consumí-lo imediatamente ou retorná-lo a garrafa para que não se fragilize no decanter com o contato com o oxigênio.
Antes de voltar o vinho para a garrafa certifique-se de que a mesma está limpa, sem qualquer borra, cada um tem sua técnica neste ponto. Qualquer hora escrevo a minha, bem como dicas de como lavar e manter o decanter.
Para aqueles que adentram o universo do vinho com uma certa necessidade de auto-afirmação expressando sarcasmos e gostam de usar o termo “enochato”, este tema será um prato cheio, mas eu não acredito que no momento em que vierem a entender a importância de todo o processo, pelos frutos que serão colhidos na qualidade do vinho, ainda insistam neste infantil e simplório termo, afinal tudo na vida que é especial, tem lá suas preparações, certo? ou você é do tipo que toma cerveja em xicara de café? …rs… é claro que não, como vê,  acaba seguindo os protocolos também, então relaxe, aprenda e curta,  a vida levada com carinho e cuidados é muito mais interessante e bela!

Voilá, é isto... Espero que aproveitem estas dicas e usufruam o melhor de seus vinhos, e que 2013 traga vinhos maravilhosos à todos nós, e que possamos exercitar muito a decantação,  pois eu não me importo nem um pouco de decantar os vinhos especialíssimos que pretendo abrir e degustar com direito a todo o prazer que isto pode me dar. Smiley piscando

Leia a primeira parte: “Não confunda Decantar com Aerar um vinho

Enoabraços,
Artigo de minha autoria, NÃO autorizado para a publicação nem em parte nem no todo, em nenhum veículo seja virtual ou impresso, caso queira indicar aos seus leitores
o faça indicando um link para este artigo. Obrigada!

9 comentários :

Marcia disse...

Conhecendo o blog agora!!
Parabéns pela iniciativa e pelos artigos super objetivos para quem busca informação!
Abraço,
Marcinha

Camila H. Coletti disse...

Olá Marcia, obrigada pela visita e comentários,
Enoabraços,

Luciano Duarte disse...

Puxa, muito obrigado pelo artigo!!!
Eu não tinha a menor idéia da função da vela, acho ótimo quando encontro documentos que enriquecem o nosso saber.

Camila H. Coletti disse...

Olá Luciano, muito obrigada pela visita.
Fico contente que tenha conseguido partilhar uma informação útil.
Enoabraços e volte sempre.

Unknown disse...

Muito bom,,corretíssimo

Camila H. Coletti disse...

Muito obrigada!
Um lindo 2016 pra você!!!
Enoabraços.

Alcir Siqueira disse...

A vela não irá aquecer o vinho fazendo com que se perda o seu potencial?

Camila H. Coletti disse...

Olá Alcir,

não irá aquecer, se o sommelier souber fazer o trabalho dele corretamente deixando uma distância adequada e vertendo o vinho constantemente, assim, não haverá tempo de contato com a fonte de calor, de forma a alterar a temperatura do vinho.
Muito obrigada pelo contato,

Enoabraços!

Rita Morais disse...

Boa tarde,
Adorei o artigo, adoro vinho, sou curiosa e sempre estou na internet lendo, mas ainda não tinha visitado o blog, que me esclareceu muito sobre a diferença entre ambos, e adorei.
Parabéns, e com certeza a partir deste estarei sempre por aqui lendo e aprendendo. Obrigada.
Rita Morais - RJ